Publicado por: almofadas | Junho 24, 2010

Os parabéns de ninguém

Sopro preciso, penetrante e apurado

Guiado pelo som do desaniversário dócil

Por um relógio cansado de viver os dias pelo ano fora

Pendendo na corrente prateada

Seguindo os ponteiros

Soltos da corda apertada

Nascia nele entre a terra árida

À luz do dia outro fócil

Que descoberto pela madrugada

Não viu surgir ninguém

Não encontrou pegada

Foi resguardado, limpo, personalizado

Foi empilhado esquecido e reinventado

Seria uma alma vinda do além

Talhada para cinzelar o bem

Ou um boneco de alguém

Um “nunca cai”

Levado, arrastado e deixado pelo empurrão

Ninguém se levantou e deu opinião

Seguiu pela calada desaniversários distantes

Perdendo-se pelos instantes incontsantes

Do chá no pátio do chapeleiro marado

E das conversas maltratadas

Fugia o coelho atrasado

Deixou fugir – não sei se foi do seu agrado

Havia uma gentileza crua no seu passo

Uma firmeza leve no seu braço

Havia cartas soltas sobre a mesa

E uma ilusão de espaço

Ninguém lhe deu a mão

Ninguém cantou lhe uma canção

Ninguém falou, ninguém acompanhou

Ninguém ficou!


Responses

  1. falar-te-ei de como se erguem
    em flor as sementes,
    de como o luar pode desfazer
    a solidão de um nome
    e atirar-nos para o lugar das mãos.

    ao longe, a púrpura dos dias,
    do ar respirado, da vida
    que não pára de bater
    em cada grão de terra
    – nas tuas mãos, o meu
    coração de lã e o frio
    que não mais te tocará
    por ser possível ser-se feliz.

    Vasco Gato
    Um Mover de Mão

    parabéns!

  2. diz lá como as ricas meninas sonham com lares de ruidosas pantufas e risquinhos na parede a fazer de maridos e beijam a cal fria e lascada dos dias que crescem e elas com eles e devagar bem devagarzinho descobrem a íntima palavra: amor. no seu regaço ainda por inventar escondem os segredos todos de todas as mulheres e eu
    menina ainda por crescer revelo
    :pudessem todas essas mães perfilhar um só pensamento e
    o mundo seria redondo
    e asas seriam mãos de embalar e bocas de beijar

    guardo-te no lado esquerdo do corpo, alice

  3. 🙂

  4. Que belas palavras, maravilhosa prenda. E aqui ficam para que eu possa ler sempre que sentir muito a tua falta. um bj


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: