Cruzam-se universos na matéria do ser e do usar

E contam cada um a sua história, esses fragmentos de memória

Dualizando a passada em que vais entrar

Onde te acompanha o reflexo do lugar

Lá do lugar, eu vejo-te fugindo da sinceridade

Escapando através do medo que te segue pelo chão

Observo-te atentamente,

Esperando com o meu olhar chamar a tua atenção

Ele seguiu-te pelo som da tempestade

Tu abordaste-o, aprisionada nas ruínas da razão

E encontraste no olhar do medo, a vontade

Que apareceu erguendo-se no limiar da tua imaginação

Fitando-te das trevas, retratos esquecidos

Pretendem possuir o pensamento

Baloiçam nas correntes dos momentos já vividos

Distorcem subtilmente os sentidos – quebrando o momento

E no chamar da luz eu tento agarrar-te pelo lado escuro

Será que és quem eu procuro? Será que vês?

Será que é  tua, a sombra aos teus pés?

Diz-me que és – em que futuro!

Ela parou e respirando assustada olhou em seu redor

Atordoada pelas mãos alheias que lhe chegavam quase até à alma

Ela foi seduzida pela força do terror

E renasceu maior no sussurar da noite calma

Cansada e magoada pelas sombras do destino

A vida do lugar abandonado ainda espera salvação

Apela aos ventos e à escuridão

Uma visita de um pensamento peregrino

Um pensamento que os atire das janelas da razão

Um movimento ao som da imaginação

Um sopro que soubesse inverter a direcção

Em que se segue na perseguição

O que encontras tu espreitando-me pelo quadrado

Quem vês do outro lado?

Será que te revela a verdade?

Sabes que noutro patamar

O céu invade o telhado

E um ranger faz-se escutar

Dela, que tenta alcançar-te através do muro

…É a cegueira do seu olhar que queres trespassar

É dela que pretendes apanhar o pensamento

Aquele que encaixa subtilmente

E que te faz também pensar

Quebrando muros sem questionar ninguém

Sem revelar de onde vem

Ou se chegou para te libertar

É pelas fendas que te segue o olhar

Que aguarda pacientemente o momento

Em que a sua determinação atinge o objectivo

E ela invade a razão para te transformar

Porque tu és o seu motivo

Mas é a tua sombra que te vai reanimar

É ela que agora vai reinar neste lugar

Porque és tu que vais ficar…

 

Alice Coelho


 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s