Publicado por: almofadas | Julho 12, 2013

Em sensato

Se um dia olhaste para trás e viste um por do sol distante

Pensaste que naquele instante a deslumbrante cor do céu cedeu

As lágrimas caídas de orvalho fresco de outrora

Agora, são arrepios encandescentes, dos dias quentes

Que não se apagam as memórias trepidantes das sonatas

Não murcham flores secas em páginas de livros

As pedras torneadas moldam a melodia das cascatas

E no revivalismo não se acha uma nova arte

Enchem o pote um a um os pingos

Se um dia vires numa noite de Verão a lua prateada

Recorda esta vóz cansada que não diz mais nada

Que não se unem os estilhaços transparentes

De uma jarra que caindo ao chão se parte

Foda-se!

É o prelúdio arrepiante de um ser que se esmiuça para ser

São notas falsas de um barítono embriagado

Um coração partido com medo de amar e de perder

É neste mundo sem razão possível para ser

A tranche no contrato, sem juros nem montante calculado


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: